Receba Novidades

     
 
 
   
Acessar seu cadastro
 

Onde Estamos

Exibir mapa ampliado
R. Jornalista Nertan Macêdo, 35
Cocó - Fortaleza - CE
Fones: (85) 3262.3875 ou 3081.5790

toca@tocadacrianca.com.br


Serviços - Nutrição

POR QUE MEU FILHO NÃO QUER COMER?

 

A falta de apetite na infância é uma queixa rotineira entre os pais e muitas vezes as causas podem estar associadas à própria atitude das famílias e à forma como a alimentação complementar foi introduzida.Geralmente os pais ficam muito preocupados e até ansiosos quando o filho não quer comer e a criança ao perceber o que está gerando nos pais pode usar o alimento como forma de chamar a atenção deles. Com o objetivo de auxiliar esse momento tão importante, vamos abordar esse tema com algumas recomendações.

Os dois primeiros anos de vida são fundamentais para uma conquista importante: saber comer sozinho. Nessa fase, elas têm consciência do seu próprio corpo, assim os bebês e crianças pequenas devem ter a oportunidade de reconhecer os sinais que o próprio corpo emite e que expressam fome ou saciedade. Além disso, têm de aprender a lidar com as próprias emoções. Assim como ocorrerá na aprendizagem do andar, da fala e muitas outras etapas de aprendizagem.

Há crianças sensíveis ao sabor, textura, temperatura ou cheiro de certos alimentos e que podem apresentar reações aversivas na primeira tentativa. Por outro lado, se o seu filho cospe, engasga ou vomita o alimento, recomenda-se que o mesmo só seja ofertado algum tempo depois, se for percebido que para criança foi um acontecimento desagradável. Os bebês possuem memória emocional e ficam assustados ao se depararem novamente com o alimento ou a comida que lhes recorde aquele alimento que foi rejeitado.

Algumas atitudes podem auxiliar nesse processo:

- Inserir a criança na rotina alimentar da família é um ponto fundamental para que ela possa construir um bom comportamento alimentar

- A atitude dos pais também é decisiva para a criança aceitar bem os alimentos. Portanto, recomenda-se que sejam evitados: ameaças, forçar a criança a comer, criticar por ter comido pouco, usar a comida como recompensa ou como expressão de afeição. Além disso, na hora da refeição é ela que deve ser o foco, nada de dividir essa atenção com a televisão ou outras mídias, pois a criança perde a percepção do ato de comer já que ela fica atenta às imagens da TV, celular e demais mídias.

- Por o prato da criança na mesa e ensinar que ela tem local e hora para comer é também muito importante. Mesmo que ela não aceite comer sugere-se que ela permaneça na mesa até que todos tenham finalizado a refeição.

- Estimular a criança a comer de forma autônomaé outro aspecto que deve ser ressaltado. Essa autonomia inicia-se do 9º ao18 º mês). Muitas vezes os pais acham que a criança brinca demais com o alimento, se suja e acaba não comendo a quantidade que acreditam que ela deveria ter ingerido.O fato da criança manipular o alimento, se sujar revela que ela está conhecendo e aprendendo a comer diferentes alimentos, só que nessa fase o processo de aprendizagem é permeado pelo brincar.

O controle de a ingestão alimentar (como e de que forma se come), a harmonia entre as informações do ambiente externos (familiaridade, textura, variedade, regionalismo, tabus, mídia entre outros fatores) com a informações fisiológicas ajuda a formar um comportamento alimentar.

Então se seu filho não quer comer reveja as atitudes tomadas em casa e lembre-se que a família e a escola são coadjuvantes nesse processo, devendo sempre estimular a aprendizagem da criança no ato de comer. É importante atentar que deve-se respeitar a individualidade de cada criança e que alguns casos devem ser analisados particularmente.

 

Para maiores informações procure um nutricionista!

Natália de Souza

Nutricionista

CRN - 9030